sábado, 25 de julho de 2009

"TRÊS JOVENS DE MUITA FÉ E CORAGEM"

TRÊS JOVENS DE MUITA FÉ E CORAGEM
O rei Nabucodonosor ao terminar de construir a estátua, convoca todo povo a se curvar diante dela e adorá-la, convidou a alta elite da sociedade com todos os governantes de todas as regiões.
E ofereceu-lhes uma grande festa, e decretou que todos haveriam de se curvar à estátua sob pena máxima de morte na fornalha de fogo ardente a quem se recusasse a se prostrar diante dela.
Havia três jovens trabalhadores, companheiros de Daniel, que ainda estavam naquela região, e que não se sujeitaram as ordens do rei, e que foi logo denunciado, das suas negligências.
O rei fica muito furioso e manda buscar aqueles jovens, oferecendo-lhes uma segunda chance, que de imediato se recusam e não obedecem as ordens de alguém que estava em oposição à vontade de Deus.
O rei insiste em fazer com que eles adorassem a estátua, e mediante a recusa o rei os ameaçam a jogá-los na fornalha de fogo ardente, e ainda desmerecia o Deus daqueles jovens, dizendo, quem é o Deus que vos poderá livrar das minhas mãos?
A resposta também veio de imediato, e disseram ao rei, não necessitamos responder a tais ameaça.
Eis que o nosso Deus a quem servimos é que nos pode livrar, ele nos livrará do forno de fogo ardente e da tua mão.
Ó rei, e, se não, fica sabendo ó rei que não serviremos a teus deuses e nem adoraremos a estátua de ouro que levantastes – Daniel cap. 3 v 15 a 18.
O rei indignado com tamanha afronta, se enche de furor, e em seu rosto se notava a mudança em seu semblante, e ordenou que se aquecesse o forno sete vezes mais que o de costume.
Convocou os seus homens mais fortes que estavam no seu exercito, que amarrassem os três jovens e os jogassem na fornalha, que estava sobremaneira quente.
Passado alguns instantes o rei procura saber o resultado de tudo o que acontecera, quando constatou que havia quatro homens e não três, assustado pode observar que os quatro passeavam tranquilamente por entre as chamas sem se queimarem.
E pode observar também que o quarto homem tinha o aspecto semelhante ao filho dos deuses, ele referia a deuses em vista de sua ignorância a respeito do Deus vivo, e verdadeiro.
Então o rei vendo o que estava acontecendo, consciêntizou-se que se estavam vivos e sem nenhuma lesão, é porque eles estavam sendo protegidos por um Deus verdadeiro.
Reconhecendo que o Deus daqueles jovens era superior a qualquer outro deus feito por mãos de homens, as palavras de Nabucodonosor foram marcantes naquele momento e disse assim.
Bendito seja o Deus de Sadraque, Mesaque e Abednego, que enviou o seu anjo e livrou os seus servos que confiaram nele.
Pois não quiseram cumprir a palavra do rei, preferindo entregar seus corpos, para que não servissem e nem adorassem algum outro deus que não fosse o seu Deus.
E mais, dai por diante o rei lança um decreto para que todo povo, nação ou língua que blasfemar contra o Deus daqueles jovens, seria despedaçados e as sua casas seriam feitas um monturo; porquanto não há outro Deus, que possa livrar como este.
A ignorância dos homens faz com que não enxerguem a verdade e nem que estão sendo explorados.
O que um ídolo ou imagem feito de barro de cimento ou mesmo de ouro, ou seja, lá do que for, pode fazer em beneficio de alguém?


ENI JOSÉ DE OLIVEIRA -
Do livro a Essência do amor

Nenhum comentário: